sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Macau e a Educação

Dia do Professor – O que comemorar?
“O professor se liga à eternidade. Ele nunca sabe quando cessa sua influência”, disse Henry Adams, certa vez. O reconhecimento universal dessa grandeza profissional tem sido de pouca valia para a imensa maioria dos governantes.
Vemos nos veículos de comunicação, mais precisamente nas redes de TV, propagandas oficiais do governo brasileiro num arremedo de valorização aos seus professores ao mesmo tempo em que dá às costas ao profissional da educação ao se eximir das responsabilidades de uma valorização concreta no estrito cumprimento da lei, sem mentiras, sem tentativas canhestras de manipulação. A lei que trata da valorização do profissional do magistério público brasileiro, porque atrasada, já não atende às necessidades básicas do professor. E envergonha a todos, a todos que guardam a dignidade como valor.
Aumento de salário é tabu. A valorização cobrada, reivindicada, exigida, não está na pauta do dia destes governantes. Resta apenas a luta constante das nossas representações sindicais.
E a Justiça? Têmis investe cegamente contra os seus próprios princípios ao negar a imparcialidade nos seus julgamentos e, de forma nefasta, faz pender o prato da balança para o lado de uma elite conservadora e atrasada. A Justiça se faz prolongamento dos governantes impedindo, através da coerção e do cerceamento, o reconhecimento e a valorização dos profisisonais da educação deste país.
Os juízes dão carta branca, e os gestores executam da forma mais vergonhosa e inimaginável, a repressão policialesca. No lugar do cumprimento das leis, no lugar da valorização, no lugar do diálogo, batalhões de choque, spray de pimenta, bombas de efeito moral, cavalaria, e cães treinados para o massacre do trabalhador da educação. O horror e a covardia da bota policial pisa o professor brasileiro, ao massacrar o companheiro professor cearense, e se materializam como palavra de ordem contra o professor, por parte dos eleitos democraticamente como agentes públicos.
Jantares, mensagens de esperança, ou tapinhas nas costas! O professor não quer esmolas! O professor não quer comemorar a esperança, as promessas, nem o medo! O professor que comemorar hoje nossa dignidade, nossa consciência, nossa grandeza, a nossa importância para a construção de uma sociedade mais humana e mais justa!
Macau e os seus gestores desrespeitam os seus educadores! E assim desrespeitam a toda sociedade. Desrespeitam a lei do Magistério público municipal,  assim demonstram que não tem a mínima responsabilidade com a cidade. Desrespeitam a decência que deveria existir nas relações sociais entre a comunidade e a categoria mais importante para o seu desenvolvimento! No dia do professor, Macau nos envergonha...
Professor e professora macauense, realmente não podemos saber dos limites da nossa influência. Mas sabemos muito bem o tamanho e a importância dessa influência e faremos uso dela na luta pelo respeito e dignidade profissional, porque estamos conscientes de que se trata dos fundamentos da construção de uma nova realidade.
Desdobramo-nos para cumprir a nossa missão profissional de educar em meio desse emaranhado de injustiça e descaso. Diante desse quadro, já não é apenas o ato de ensinar que nos liga à eternidade, mas nossa resistência e perseverança, nossa teimosia.

6 comentários:

  1. Boa noite Nazareno. Este texto é de uma categoria tamanha que tenho pena de não ser lido e comnetado por várias pessoas. Vejo alguns colegas reclamar de como você se posiciona em alguns momentos, mas, sempre que posso rebato dizendo: Que tivéssemos milhões de Nazarenos! Continuemos a luta!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Que saco. Vcs sempre reclamam. Eu sei q as coisas n estão boas, mas perai né, pelo menos da uma folga. Esse dia é pra ser comemorado sim. Afinal somos professores pq queremos. Se tá achando muito ruim é só pedir p sair. kkkkkk

    ResponderExcluir
  3. O PROFESSOR ESTÁ SEMPRE ERRADO QUANDO…
    É jovem, não tem experiência. _ É velho, está superado.
    Não tem automóvel, é um coitado/Tem automóvel, chora de barriga cheia.
    Fala em voz alta, vive gritando/Fala em tom normal, ninguém escuta.
    Não falta às aulas, é um “Caxias”. _ Precisa faltar, é "turista".
    Conversa com os outros professores, está “malhando” os alunos.
    Não conversa, é um desligado.
    Dá muita matéria, não tem dó dos alunos/ Dá pouca matéria, não prepara os alunos.
    Brinca com a turma, é metido a engraçado/Não brinca com a turma, é um chato.
    Chama à atenção, é um grosso/Não chama à atenção, não sabe se impor.
    A prova é longa, não dá tempo/A prova é curta, tira as chances do aluno.
    Escreve muito, não explica. _ Explica muito, o caderno não tem nada.
    Fala corretamente, ninguém entende/Fala a "língua" do aluno, não tem vocabulário.
    Exige, é rude. _ Elogia, é debochado.
    O aluno é reprovado, é perseguição/O aluno é aprovado, "deu mole".
    É, o professor está sempre errado, mas, se
    Você conseguiu ler até aqui, agradeça a ele! (Zuza, pág da vida)

    ResponderExcluir
  4. De agora em diante Macau vai começar a ver ações de Flávio e concluir que tais ações só são eleitoreiras, mas, o povo não é culpado pois só teve e tem "educação" para isso (se corromper infelizmente), serão apresentados a imensa quantidade de dinheiro que está no bolso do próprio Flávio e seus laranjas (ladrões) enquanto isso, a educação e saúde sofrem com os desvios de dinheiro. Vocês já perceberam que os únicos órgãos que páram quando existe PARADA NACIONAL é Macau com as escolas do município e estados. Por quê?
    Mas...Por exemplo:
    Pendências tem um piso de R$ 1.326,00
    Guamaré: R$ 1.964,00
    Galinhos: R$ 1.470,00
    E assim por diante, Macau tem um piso de R$ 950,00. Agora o Favinho não tem culpa. Na verdade a grande é a justiça, pois ele não respeita justiça e a mesma fica a assistir de camarote os descasos da nossa sofrida cidade. Acrde Justiça macauense (promotoria, juizados, policiamentos até o tal do CONSELHO TUTELAR é conivente com os descasos administrativos) Mas também, todos ganham bubus justamente para ficar calados. (Sociedade fálida, educação fálida,...Edson Gomes). Quanto ao Marquinhos show, é um pobre coitado, mas foi a educação que rebeu. Só vivem reclamando por tocarem e não recebe...todos os músicos de Macau, infelizmente...Por favor divulguem!

    ResponderExcluir
  5. Que saco o que safado! Nazareno, no mínimo foi o Irineu que postou. Pois quem correu foi ele e ultimamenmte ele se serviu da educação para se corremper mais uma vez. E a gente que tem a missão de ensinar é que somos insutados. Insute o prefeito cara! Ah! desculpa Irineu, ganhas para isso. Deixe a nossa classse quieta se não podes ajudar. Divulgue!

    ResponderExcluir
  6. Profª Lusimar Ribeiro19 de outubro de 2011 17:14

    Que saco? Estás satisfeito com essa situação? Mostre a cara. Identifique-se. Defenda a sua satisfação. Deves ganhar muito bem para se posicionar assim, mas, saia do anonimato pois "os fracos usam a força. Os fortes usam o diálogo" mas os covardes se escondem atrás do anonimato.

    ResponderExcluir