quinta-feira, 29 de março de 2012

Ano Letivo

"Começado" às pressas, ano letivo retrata o descaso da educação de Macau

Dez dias após ter sido literalmente começado - haja vista que a maioria das escolas não estão ainda com os seus quadros docente, administrativo e de apoio completos - o descaso da administração pública de Macau reafirma a falta de compromisso dos nossos gestores para com a comunbdade escoalr macauense.

Nos últimos Sete anos este é o retrato da situação da Educação em Macau. São Sete anos de promessas não cumpridas com os estudantes macauenses matriculados nas escolas municipais.

Tendo sido "começado" atrasdo em relação ao ano letivo das escolas da rede estadual, o projeto do prefeito Flávio Veras, "intitulejado' de "Nossa Educação Melhor", mostra o verdadeiro quadro da nossa cidade quando o assunto é educação. Dos investimentos trombeteados pelos quatro cantos da cidade, até agora nenhum está sequer perto de conclusão.

O "Complexo" que deveria estar funcionando nas dependências da UERN vai demorar muito para ser concluído. As creches, que seriam"removidas" - mesmo sem nenhuma família ser consultada - para o prédio da escola Padre João Penha Filho continuam nos mesmo locais - casas residenciais - inadequados. As salas de aulas da maioria das escolas receberam um forro de PVC que seriao início da "climatização" - palavra doce nos discrusos do prefeito - para melhorar a vida dos alunos. Nenhuma escola está "cimatizada", a não ser pelo intenso calor que restou depois que coolocaram o forro.

Dos oito veículos que seriam adquiridos com recursos próprios para o transporte escolar, apenas a metade chegou. Espera-se que não cheguem somente no apagar das luzes de 2020.

A merenda escolar, que segundo informações do departamento responsável, já foi adquirida, mas já está fazendo falta em algumas escolas, e com isso os alunos estão sendo liberados mais cedo: tem o produto mas não tem quem faça a merenda.

O quadro docente continua com o mesmo e vergonhoso problema. A maioria das creches está recebendo novos contratados para serem auxiliares tal qual o proceso de "conta-gotas". É possível que estea havendo interferência de vereadores da bancada de sustentação para a contratação dos seus afilhados. Sendo verdade, as disputas internas dentro da bancada governista interferem de forma vergonhosa no cumprimento do ano letivo.

Entregue aos caprichos pessoais do prefeito, numa administração que privilegia pneus de automóveis e turistas, Macau sofre as desventuras de uma escolha errada. Uma administrador que prefere privilegiar turistas e pneus de automóveis, esquecendo a Educação da nossa cidade não pode ter - nem ele nem os que hoje o defendem - a confiança do povo macauense.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Hoje é dia internacional da Síndrome de Down

A expectativa de vida dos portadores do cromossomo
21 subiu de cerca de 15 anos. 

Diversas ações educativas são realizadas em todo o Brasil nesta quarta-feira, em comemoração ao Dia Internacional da Síndrome de Down, alteração genética produzida pela presença de um cromossomo a mais, o par 21. Atualmente, a data ganha boa notícia – com os avanços da medicina, a expectativa de vida dos portadores da modificação genética subiu de cerca de 15 anos, em 1947, para 70. Os dados são da Santa Casa de São Paulo.

No Congresso, o tema será abordado durante todo o dia. Segundo dados do Instituto Brasileira de Geografia e Estatística (IBGE), o número de casos no país supera os 300 mil. A Síndrome de Down pode atingir um entre 800 ou 1000 recém-nascidos. A variação deve-se ao fato de a incidência do distúrbio aumentar em filhos de mulheres mais velhas.

Em Natal, o lançamento do livro Basta Um Olhar, escrito por Kelly Antunes, será um dos eventos voltados para a data. A obra será apresentada ao público às 19h, no Odontoface (Praça Augusto sLeite, 656, Tirol). O livro é voltado para pessoas que passaram ou vão passar pelo processo de ter um filho com o chamado Trissomia do 21, a partir do ponto de vista de uma mãe que soube apenas depois do parto que seu filho era portador do Cromossomo 21. 
 
Fonte: Blog Macau Em Dia

Convocação

Macau-RN - Convocação de professores

O Secretário Municipal de Educação de Macau/RN, no uso de suas atribuições legais, considerando o não preenchimento de vagas, CONVOCA em TERCEIRA chamada os classificados no Processo de Seleção Simplificado para contratação temporária emergencial de Professores e Supervisores para a Rede Municipal de Ensino, ano letivo 2012.
HISTÓRIA

NOME DO CANDIDATO
PONTUAÇÃO
03
Márcio Cleiton Tomaz de Andrade
  8,0*
04
Fernanda Oliveira de Souza
  8,0*
05
Rayanne Bezerra dos Santos
  8,0*

*Para preenchimento de vaga nas áreas II e IV – (Barreiras e Diogo Lopes), considerando não haver mais classificados para essa área.


CIÊNCIAS

NOME DO CANDIDATO
DIA
03
Ângela Maria Fernandes Araújo
 14,0


POLIVALENTE

NOME DO CANDIDATO
PONTUAÇÃO
14
Andréia de Souza Oliveira
 16,0*
15
Luzia do Carmo Galvão
 16,0*
16
Magnólia da Silva Maia
15,0*
17
Francisca da Conceição da Costa
 15,0*
18
Iza de Melo Barbosa Rocha
15,0*

*Critério de Desempate: Conforme Artigo 10, Parágrafo 1º, Inciso I e II, do Edital 002/2012. (Tempo de Serviço e/ou Idade).


CARGO DE PROFESSOR
ÁREA: II
LOCALIDADE: BARREIRAS


MATEMÁTICA

NOME DO CANDIDATO
PONTUAÇÃO
03
Wagner de Souza Silva
2,0


CIÊNCIAS


NOME DO CANDIDATO
PONTUAÇÃO
02
Manoel Nazareno do N. Varela
8,0



POLIVALENTE

NOME DO CANDIDATO
PONTUAÇÃO
13
Elidiane da Conceição Silva
 4,0*
14
Francisca das Chagas Evangelista
 4,0*

*Critério de Desempate: Conforme Artigo 10, Parágrafo 1º, Inciso I e II, do Edital 002/2012. (Tempo de Serviço e/ou Idade).


CARGO DE PROFESSOR
ÁREA: IV
LOCALIDADE: DIOGO LOPES


MATEMÁTICA

NOME DO CANDIDATO
PONTUAÇÃO
05
Raene Galvão Farias
2,0



POLIVALENTE

NOME DO CANDIDATO
PONTUAÇÃO
05
Aldeíza Maria Morais
  12,0*
06
Maria Bernadete Leite Ferreira
  12,0*
07
Givanilda dos Anjos Rodrigues
  12,0*
08
Elizangela Ribeiro de Souza
  11,0*
09
Francisco das Chagas L. da Silva
  11,0*
10
Alaíde da Silva Santiago
  11,0*

*Critério de Desempate: Conforme Artigo 10, Parágrafo 1º, Inciso I e II, do Edital 002/2012. (Tempo de Serviço e/ou Idade).

Macau (RN), 19 de março de 2012.

sábado, 17 de março de 2012

Documentação exigida para a nomeação no concurso de professor do RN.
(Originais com Cópias autenticadas)


Concurso da Educação do RN - Nomeação

Condor dos Andes

Domitila Chungara
Por Pablo Stefanoni



Revolucionária, combativa, feminista... Ontem abundaram os adjetivos para definir esta líder das donas de casa mineiras que no final dos anos 70 venceu uma queda de braço contra o temido general Hugo Banzer Suárez. Depois de uma longa luta contra o câncer de pulmão, Domitila Barrios de Chungara faleceu nesta quarta aos 75 anos em sua humilde casa em Cochabamba e o governo Evo Morales lhe entregou postumamente o Cóndor dos Andes.

Chungara deixou sua marca no gênero testemunhal: em 1976 a educadora brasileira Moema Viezzer gravou suas experiências e publicou “Se me permitem falar...", que terminou de projetar esta mulher convidada como única representante das trabalhadoras à Tribuna do Ano Internacional da Mulher, reunida no México em 1975. A esta altura, ela já tinha vivido e resistido ao chamado massacre de San Juan em 1967, sob as mãos do ditador René Barrientos, o general que ordenou a morte de Ernesto Che Guevara. 

Pouco depois - em 1977- iniciaria a emblemática greve em frente à Arquidiocese de La Paz demandando eleições e anistia, o que rapidamente se multiplicaria por milhares e obrigaria Banzer a sair do poder. Esteve presa, deportada e exiliada, a última vez sob a narco-ditadura de Luis García Meza nos anos 80, o militar que publicou faz alguns anos a autobiografia “Eu ditador”. 

A vida de Domitila Chungara foi marcada pela mineração: nasceu no século XX e se criou em Pulacayo, lugar famoso pelas teses trotskistas que nos anos 40 convocaram à organização de um governo operário-camponês. Se formou lutando contra os aumentos do açúcar e do arroz, e pelo abastecimento das mercearias mineiras. Podia brigar com as feministas “ricas” do norte na tribuna das Nações Unidas defendendo a agenda das mulheres operárias do sul. Ou desafiar coronéis e generais a partir dos microfones da poderosa rede de rádios mineiras até que os soldados viessem a destruí-las. 

Em 2005 a ex-líder das donas de casa denunciava que “a burguesia sempre foi brutal, mentirosa e ladra” e que “ainda é possível fazer uma revolução” porque “as injustiças não serão para sempre”. No fim desse ano, festejou o triunfo de Evo Morales e do MAS, ainda que tenha levantado dúvidas sobre seu caráter “revolucionário” e destacado a falta de formação de seus militantes. De fato, um tempo antes, havia levado adiante a Escola Itinerante de Formação Sindical e até organizou um movimento guevarista. Mas os tempos haviam mudado. Ficaram para trás os anos dos mineiros heróicos que discutiam sob a terra as teses de Trotsky e, por via das dúvidas, faziam oferendas ao “Tio”, divindade andina encarregada de protegê-los dos acidentes. 

Em 2007, foi condecorada por Evo Morales junto com outras quatro mulheres mineiras que acenderam a faísca que acabou com a ditadura. E, finalmente, sua figura ficou não tanto no panteão da revolução como no da conquista das liberdades democráticas que a esquerda começou a revalorizar no final dos anos 70.

Tradução: Vinicius Mansur
CNTE comemora sucesso da greve nacional


A greve nacional da Educação foi um sucesso. Durante três dias, professores e demais trabalhadores da área pararam suas atividades, para cobrar o cumprimento da Lei Nacional do Piso do Magistério e dos compromissos assumidos pelos governadores e prefeitos com a categoria. O movimento envolveu as redes estaduais e municipais de ensino. Em alguns estados, como Pernambuco, mais de 85% das escolas pararam. Em muitos municípios Brasil afora a adesão foi quase total, caso de Curitiba, onde 95% dos educadores saíram às ruas para protestar.

Guamaré-RN. Companheiros do Sinte-RN/Regional Macau
 na luta pelos direitos e investimentos na Educação brasileira.
“Foram três dias muito bons. Mostramos para os governadores e prefeitos que nós não aceitamos que eles simplesmente digam que não têm dinheiro para cumprir a Lei do Piso. Consideramos que eles precisam se esforçar para encontrar condições de saldar essa dívida. Precisam fazer melhor as contas dos seus estados e municípios, provar que gastam com a educação aquilo que é disposto na Constituição”, avalia o presidente da CNTE, Roberto Franklin de Leão.

Macau-RN: na luta com os companheiros e
companheiras de todo o Brasil.
O dirigente da CNTE lembra que cumprir a Lei Nacional do Piso não significa apenas o pagamento da remuneração de acordo com o valor definido pelo Ministério da Educação (MEC). “É preciso que se tenha claro que a Lei do Piso não fala só do salário. Fala de jornada, de carreira. Esses são pontos importantíssimos que são descumpridos. Isso tudo precisa ser cumprido”.

De acordo com o presidente da CNTE, a próxima batalha dos trabalhadores da Educação é fazer uma campanha contra a votação, no Congresso, do projeto de lei que altera os critérios de reajuste do piso, colocando apenas o INPC como fator de correção. “Nós não aceitaremos isso. Aceitamos discutir sobre a questão, mas não vamos discutir nada que não seja valorização. Aliás, o próprio ministro Aluizio Mercadante já se manifestou a respeito e na sua fala ao Congresso Nacional ele disse que não dá para ser simplesmente o INPC o fator de reajuste do piso”, afirma.

Fonte: www.cnte.org.br

quinta-feira, 15 de março de 2012

A "faixa da permanência": incompetência e inoperância
"Essa" faixa...
Em 2011, através de decreto, a governadora fechou as escolas Professor Bartolomeu Fagundes (Natal), José Maria do Nascimento (Bodó), Francisco Pereira (Frutuoso Gomes), Jacu (Martins), Alto do Bonfim (Rafael Godeiro), Professora Dina Nunes de Brito (Umarizal), e a Escola Isolada Serrinha do Major (Antônio Martins). A justificativa: a falta de alunos.

Por que grande parte das escolas estaduais tem este problema da falta de alunos? Resposta: falta de investimento do governo estadual. As mães e os pais de alunos sempre enfrentam problemas de falta de professor - alunos sem aulas de Inglês e Química o ano inteiro -, falta de transporte escolar para estudantes que moram em distritos, questão de paralisação das atividades por parte dos professores que buscam o cumprimento dos seus direitos (carreira e remuneração).

Em Macau, em 2011, a diretora e a vice-diretora da escola Donana Avelino foram para a sala de aula porque não tinha professor antes mesmo da deflagração da greve que durou 79 dias.

Hoje, em Macau, mais de 500 estudantes macauenses, moradores dos distritos, estão sem aulas porque não tem transporte escolar, apesar do governo ter adquirido 100 novos veículos para este fim.

Fechamento. As escolas Donana Avelino e Duque de Caxias enfrentam hoje o dilema do fechamento. A Chefa da 6ª Dired tenta negar o fato. Mas em visita a Escola Donana Avelino, semana passada, Izaura passos, a Chefa falou em alto e bom som na questão do remanejamento de funcionários e professores, perguntando inclusive aos presentes na ocasião quem estaria disposto a mudar de estabelecimento.

Preocupação. Na terça-feira a diretora da Escola Donana Avelino, professora Solândia Albuquerque, convocou uma reunião com professores e funcionário para discutir o caso do possível fechamento, tendo em vista que a visita da Chefa da 6ª Dired causou profundo constrangimento pela forma autoritária com que a Chefa abordou a questão.

Izaura Passos, a Chefa da 6ª Dired, ante os rumores de fechamento das duas unidades de ensino em Macau, demonstrando incompetência e inoperância, mandou confeccionar a Faixa da Permanência e pregar no muro da escola Duque de Caxias... Se uma faixa serve para impedir o fechamento da escola, então é o caso de se perguntar por que não se resolve problemas menos grave.

E se a chefa da 6ª Dired e sua diligente equipe pregar faixas em cada escola que falta professor? E por que não pregar uma faixa na sede da própria 6ª Dired para resolver a questão da falta de espaço físico? E uma faixa resolvendo o problema do transporte escolar? E uma faixa para não ter mais atraso no pagamento dos professores contratados?

Se a “faixa da permanência” for a solução, a Chefa da 6ª Dired/Macau, juntamente com sua diligente equipe, terá resolvido todos os problemas da Educação no estado do Rio Grande do Norte. Rosalba Ciarlini certamente perderá uma colaboradora de peso e certamente o Ministério da Educação começará a aparecer no horizonte. Se a patética faixa for a solução...

quarta-feira, 14 de março de 2012

Transporte escolar

Quinhentos e quarenta e quatro ou 544
Governo do RN esquece a 6ª Dired/Macau, e estudantes estão sendo prejudicados 
por falta do transporte escolar

Página eletrônica da SEEC com o anúncio da compra e da entrega dos ônibus escolares. Macau não foi contemplada.
544 ou quinhentos e quarenta e quatro. Como queira, caro leitor, e a quem interessar possa, este é o número aproximado de estudantes matriculados nas escolas da rede pública estadual de Macau, sob a responsabilidade da 6ª Dired, que estão sem transporte escolar.

Os estudantes cujos pais tem condições para pagar transporte alternativo, estão frequentando as aulas. A grande maioria, entretanto, sem condições financeiras para tal, está sendo prejudicada pelo descaso com que o governo estadual está tratando a questão em Macau.

Moradores dos distritos, os estudantes, matriculados nas escolas Clara Tetéo, José Olavo do Vale, Donana Avelino e Maria de Lourdes Bezerra - na contagem faltam os estudantes da escola Duque de Caxias -, estão sendo prejudicados pela falta do transporte escolar.

O incompreensível na questão é que a governadora Rosalba Ciarlini anunciou a compra e a entrega de cerca de 100 veículos para o transporte escolar do estado, mas, inexplicavelmente, os alunos de Macau, responsabilidade da 6ª Dired não foram contemplados. 


O Fato de o prefeito de Macau ser adversário político da governadora estaria sendo o motivo da cidade não ter sido contemplada com os veículos para transportar os estudantes?

A diligente mas impotente equipe da 6ª Dired, tendo a frente a diretora Izaura Passos, não utiliza o transporte escolar. Mas 544 alunos estão sendo prejudicados. A quem recorrer?