terça-feira, 10 de abril de 2012

Parada do magistério municipal de Macau 
Uma realidade que não tem asfalto ou trio-elétrico que esconda.

Cartaz feito por alunos da E.M. Pe. João Penha Filho denuncia a "fartura"
Os professores e professoras da rede municipal de Macau paralisaram suas atividades nesta terça 10 de abril de 2012, uma vez mais, para levar ao conhecimento da população o descaso da administração para com a Educação. 

Unidos, professores denunciam os 7 anos de atraso da administração pública de Macau com a educação

Pai de aluno: participando e denunciando o descaso da administração municipal
Estudantes, na luta com os professores, reivindicam melhorias para a Educação
Bandeira de lutas: pela valorização do professor macauense
Luta permanente na defesa dos direitos dos profissionais do magistério de Macau
Caminhando contra os sete anos de atraso
Bebida láctea: prato principal servido como merenda escolar

PROMESSAS E PROBLEMAS As promessas do prefeito de Macau, juntamente com o seu secretário da Educação são as mesmas, assim como continuam os mesmos problemas.O transporte ainda está muito distante de oferecer o mínimo do conforto necessário aos alunos. Apesar da aquisição de quatro veículos. A merenda, apesar da aquisição dos produtos, ainda é motivo de rejeição por parte dos alunos; o desjejum prometido não aconteceu em nenhuma escola. Algumas escolas somente agora estão completando o quadro docente, enquanto outras ainda não têm este quadro completo. Ainda permanece o problema da falta de merendeiras em alguns turnos, o que implica a dispensa das crianças antes do horário normal (a Escola Lions Club é um exemplo). As sete vezes prometida climatização das salas de aula não aconteceu em nenhuma escola, causando problemas, em virtude da colocação de forros de PVC e fechamento de janelas, aumentando drasticamente o calor dentro das salas de aula. As quadras poliesportivas, prometidas todo ano, a cada início do ano letivo, ainda não apareceram em nenhuma escola. Nenhuma escola tem um laboratório de informática funcionando como fora prometido pelo prefeito. A gratificação dos diretores de escolas não está sendo feita. O pagamento dos diretores, de acordo com o número de aluno, previsto no tal “projeto nossa educação melhor” ainda não saiu do papel (fora prometido R$3,00 por cada aluno matriculado). O tal “domingo na escola” não está acontecendo em nenhuma escola, como prometido. A mudança de nível de mais de 60 (sessenta) profissionais do magistério, prometida em 2011, não aconteceu. O pagamento do piso salarial nacional aos professores não está sendo cumprido de acordo com a lei. Dos R$150,00 prometidos aos funcionários que aderissem ao projeto de melhoria da renda, apenas R$50,00 é repassado nos contracheques... O Complexo Padre João Penha Filho, que de acordo com as promessas, deveria já estar funcionando, sequer tem uma data prevista para conclusão...

Macau inteira sabe, entretanto, que no último dia de dezembro de 2012, esta administração terá chegado ao seu esperado final. Mas os profissionais do magistério, cientes das responsabilidades, e comprometidos com os alunos matriculados nas escolas da rede municipal jamais poderiam ficar esperando, omitindo-se diante deste quadro de descalabro.

E saíram, assim, mais uma vez, pelas ruas mostrando a asfáltica realidade da nossa educação.

Um comentário:

  1. Só a justiça não ver!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Socorro!

    ResponderExcluir